Cirurgia bariátrica em crianças e adolescentes: qual a indicação?

Cirurgia bariátrica em crianças e adolescentes: qual a indicação?

Cirurgia bariátrica em crianças e adolescentes: qual a indicação?

Hoje, a obesidade é uma epidemia mundial, sendo a obesidade infantil, em particular, um grande impacto em curto e longo prazo, para a saúde e o bem-estar da criança e do adolescente. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), durante quase duas décadas, o excesso de peso na infância e adolescência vem crescendo em todo o mundo, acompanhado de doenças crônicas precoces, como diabetes tipo II, hipertensão e distúrbios respiratórios. Por conta disso, essa população acaba sendo mais propensa a desenvolver doenças cardíacas, pulmonares, psicológicas e endócrinas, que persistem na vida adulta.

Na criança e no adolescente, a síndrome metabólica (SM) não é formalmente reconhecida devido à ausência de consenso na sua definição, que, em parte, deve-se às mudanças nas características metabólicas e clínicas associadas à infância e puberdade, dessa forma, dificultando a elaboração de uma definição única para essas faixas etárias. Apesar disso, o diagnóstico da SM pode ser realizado para crianças com 10 anos ou mais, observando a circunferência abdominal (CC ≥ percentil 90) e a presença de duas ou mais características clínicas. Para as crianças com mais de 16 anos, utilizam-se os critérios para adulto.

O tratamento clínico tradicional para a obesidade nessa população é, comumente, realizado a partir de dietas hipocalóricas, hiperproteicas, com baixo índice e baixa carga glicêmicos, assim como incentivo à prática de atividade física e mudança comportamental no dia a dia da família. Entretanto, no caso de pacientes com obesidade mórbida e distúrbios metabólicos envolvidos, esses tratamentos tendem a falhar, e, nesse cenário, a cirurgia bariátrica vem notabilizando-se como alternativa eficaz para resultados mais duradouros. Em adultos, essa forma de tratamento tem seus riscos definidos, porém, quanto à cirurgia bariátrica em crianças e adolescentes, o tratamento seria indicado apenas para casos muito específicos e graves.

Em 2009, o Grupo Internacional de Endocirurgia Pediátrica (IPEG) publicou uma série de diretrizes propondo a realização da cirurgia bariátrica em adolescentes com IMC acima de 35kg/m2, associado a diabetes tipo II e doença obstrutiva do sono moderada ou IMC superior a 40kg/m2 isoladamente. Critérios adicionais para a cirurgia bariátrica nesse público incluem estágio 4 de Tanner ou mais, maturidade óssea de 95%, compromisso pela mudança de estilo de vida e ambiente psicossocial estável.

Por conta disso, a conscientização dos pacientes e familiares perante todas as etapas do processo e suas possíveis implicações é de grande relevância para o êxito do procedimento e da recuperação da saúde.

REFERÊNCIAS

GODOY, C. et al. Análise bioética nas indicações de cirurgia bariátrica em crianças e adolescentes. Rev. bioét., v. 23, n. 1, p. 61-9, 2015.

PALERMO, T.M.; DOWD, J.B. Childhood obesity and human capital accumulation. Soc Sci Med., v. 11. N. 1, p. 989-98, 2012.

CANIANO, D.A. Ethical issues in pediatric bariatric surgery. Semin Pediatr Surg., v. 18, n. 3, p. 186-92, 2009.

IBELE, A.R.; MATTAR, S.G. Adolescent bariatric surgery. Surg Clin North Am., v. 6, n. 1, p. 339-51, 2011.

HSIA, D.S.; FALLON, S.C.; BRANDT, M.L. Adolescent bariatric surgery. Arch Pediatr Adolesc Med., v. 166, n. 8, p. 757-66, 2012.

Deixe um comentário

Local do Evento

Centro de Convenções - Frei Caneca
Rua Frei Caneca, 569
www.convencoesfreicaneca.com.br/

Telefones

Atendimento ao Inscrito:
(11) 3473-1693 – Ramal 24

Atendimento ao Expositor:
(11) 3586-1764

Assessoria de Imprensa:
(11) 3586-9197 – Ramal 32

Mídias Sociais